"Desde mi punto de vista –y esto puede ser algo profético y paradójico a la vez– Estados Unidos está mucho peor que América Latina. Porque Estados Unidos tiene una solución, pero en mi opinión, es una mala solución, tanto para ellos como para el mundo en general. En cambio, en América Latina no hay soluciones, sólo problemas; pero por más doloroso que sea, es mejor tener problemas que tener una mala solución para el futuro de la historia."

Ignácio Ellacuría


O que iremos fazer hoje, Cérebro?

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Mais uma da UnB, empresa júnior

Como este final de semana haverá um encontro de 10 anos do término da graduação em Brasília e eu não estarei lá, mais uma questão da UnB.
Quando eu estava na UnB, uma parte dos meus colegas inventaram de montar uma empresa júnior de relações internacionais. Eu não tinha interesse na questão, mas como toda a minha turma estava envolvida resolvi participar. E como não sei participar mais ou menos, assumi boa parte da responsabilidade. Criamos a Rel Júnior. Como já expliquei em outro post, o curso de relações internacionais é chamado de rel em Brasília, porque na UnB todo departamento tem uma sigla e sigla do Departamento de Relações Internacionais e Ciência Política é REL. E toda discussão em torno disso é besteira.
A UnB juntou no mesmo órgão as empresas juniores e a incubadora de empresa. Os dois projetos estavam sob a supervisão do CDT- Centro de Desenvolvimento Tecnológico. Obviamente a primeira empresa júnior a ser criada foi a do curso de administração, e só anos depois que outros cursos começaram a criar as suas. A do curso de administração chama-se Consultoria Júnior. No semestre que estávamos criando a de relações internacionais, tinha acabado de ser criada a de psicologia, e outros duas que não me lembro quais estavam sendo criadas. Estava virando uma praga no Rel mesmo o nosso grupo disputou com outro o direito de criar a empresa de rel, como para criar precisava que o chefe do departamento aprovasse, então não foi muito difícil para nós conseguirmos, porque no outro grupo tinha algumas boas pessoas, mas muitos picaretas. Pelas informações que eu busquei na internet a Rel Júnior ainda existe, mas hoje se chama Domani.
Como agora agora havia um bom grupo de empresas juniores, o CDT queria organizar melhor, definir melhor as regras, e até definir o nome do programa de desenvolvimento de empresas juniores. Então foi marcada uma reunião com representantes de todas as empresas juniores da UnB. A primeira grande questão discutida foi o nome do programa, as sugestões eram Programa Empresa Júnior ou Programa Consultoria Júnior, atente para o nome da empresa júnior de administração. O representante do CDT colocou a questão e começou a discussão, só a administração defendia Consultoria Júnior, mas a discussão nunca era encerrada, o representante do CDT sempre mantinha a discussão como queria a administração. Depois de passar mais de hora nessa discussão, eu falei, vamos falar claro vocês querem consultoria júnior porque vai azer propaganda de vocês, e nós não queremos pela mesma razão, e o fulano só não encerra a discussão porque quer agradar vcs. Claro todo mundo negou que fosse isso. Mas a discussão foi encerrada, ficou como Programa Empresa Júnior. E depois o representante do CDT veio me explicar que não defendia os interesses da administração. E aí eu expliquei para ele que ele defendia sim e que entendia. No fundo esta é uma questão simples que mostra novamente como as relações pessoais são fundamentais dentro do sistema universitário. A vantagem da administração é que estava lá há muito tempo e todos tinham predisposição de fazer como eles queriam porque até então só precisavam ouví-los. Do mesmo modo, claro que o clientelismo favoreceu que fosse o meu grupo e não o outro fosse autorizado a montar a empresa. E depois de eu ter apelado numa reunião, sempre me chamava para conversar. Até quando já estava me afastando disso, ele me encontrou e estava todo preocupado sobre porque não tinha sido o representante nas últimas reuniões.
Na montagem da empresa tivemos uma sorte inicial, fizemos uma cerimônia de inauguração com a presença do reitor da UnB. Parentesis, o reitor era também o presidente do Trade Point de Brasília que era ligado a UnB e uma ex-professora do Rel Mary Dayse Kinzo (foi ministra interina da Integração Nacional no governo FHC) era diretora do Trade Point. Eu tinha ido conversar com ela para manter relações entre a Rel Júnior e o Trade Point. Ótimo e ela iria na inauguração e como o reitor estaria lá ela me pediu para falar que ele era o presidente do trade Point de Brasília que era para o Trade Point aparecer. Ninguém conhecia o Trade Point e nós conseguimos praticamente lotar o auditório. Ótimo, vou fazer o discurso e começo, "em primeiro lugar gostaria de dirigir meus cumprimentos ao magnífico reitor e presidente do Trade Point de Brasília, João Claúdio Todorov. Depois que terminou a cerimônia, começou um coquetel bastante farto e ela veio conversar comigo pra reclamar, pra ela eu estraguei tudo ao chamar o reitor de magnífico porque colocou o peso no cargo de reitor e não de presidente do Trade Point, eu deveria tê-lo chamado de ilustríssimo. Isto é que se chama picuinha.
Voltando a sorte incial, uma das minhas colegas convidou um vice-presidente da Federação de Indústrias de Brasília (FIBRA) que era vizinho dela para ir na inauguração e ele foi. Um sujeito muito entusiasmado, que gostou da proposta que estávamos apresentando e logo nos contratou. Não houve dificuldade para conseguir o primeiro trabalho. O objetivo dele era conseguir aumentar as exportações das indústrias de Brasília e para isso ele queria uma pesquisa de mercado dos países de língua espanhola e portuguesa. Claro, motivado pela idéia que é mais fácil comercializar com países com idiomas mais acessíveis. Obviamente nunca tínhamos feito isso, porque não são questões que se aborda no curso de relações internacionais da UnB. Mas, apesar de enormes contratempos não relacionados ao trabalho, foi relativamente concluído. Valeu pela experiência.
Para meus alunos que lêem o blog, esta não é uma boa idéia.

3 comentários:

siell disse...

...Faça o que eu digo e não faça o que eu faço...
Fala a verdade professor, você também participava de modelos do CS da ONU...certo?

Abraço!
Jessiel

Corival disse...

Jessiel,
simulação não dá. nunca me interessei, nunca gostei.

claudiomar disse...

cara... não nos conhecemos, mas acabamos por possuir um ponto que nos mantém...

Hoje faço parte da Domani, antiga Rel Júnior, como presidente e fiquei REALMENTE surpreso quando vi o seu texto sobre a fundação da Domani. Já postei no fórum da empresa e gostaria de saber se poderíamos conversar um pouco por e-mail... Meu e-mail é brejador@yahoo.com.br.. O que vc faz da vida hoje???

Ôw, se quiser pode acessar o nosso site... www.domani.org.br

abraços!!