"Desde mi punto de vista –y esto puede ser algo profético y paradójico a la vez– Estados Unidos está mucho peor que América Latina. Porque Estados Unidos tiene una solución, pero en mi opinión, es una mala solución, tanto para ellos como para el mundo en general. En cambio, en América Latina no hay soluciones, sólo problemas; pero por más doloroso que sea, es mejor tener problemas que tener una mala solución para el futuro de la historia."

Ignácio Ellacuría


O que iremos fazer hoje, Cérebro?

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Monitores e o sistema de cátedras!

Uma colega da época da UnB deixou uma mensagem pra mim e dizia que eu havia sido professor dela na época da UnB. E eu respondi que isso só poderia ser força de expressão que no máximo eu poderia ter sido um monitor chato. Na UnB existe a figura do monitor que dependendo do professor ele ganha mais ou menos funções, dependendo das circunstâncias pode ser apenas ela a dar as aulas. Com a utilização dos alunos do mestrado para dar aula não sei se isso mudou, de todo modo continua sendo um aluno a dar aula no lugar do professor lotado na disciplina. É interessante que em 40 anos do fim do sistema de cátedras no Brasil, as universidades brasileiras ainda não conseguiram se reorganizar seja do ponto de vista administrativa seja do ponto de vista de quadros Por exemplo, no sistema de cátedra, o Florestan Fernandes era o "dono" da cátedra de sociologia, dava as aulas magnas, mas não ficava cuidando de alunos de graduação, esclarecendo dúvidas, disso cuidava Fernando Henrique Cardoso, Octávio Ianni e outros que estavam iniciando a carreira. Hoje o sistema de cátedras acabou, continua sendo verdadeiro que o pesquisador renomado não deve ficar corrigindo provas de graduação, mas também não pode deixar as aulas para monitores, sejam alunos de graduação, ou alunos que estão no mestrado, as universidades públicas ainda não encontraram um ponto de equilíbrio entre a importância dos grandes nomes darem aula de verdade e o seu desinteresse pelo processo de aprendizado dos alunos. Fui monitor em cinco disciplinas na UnB: História Social e Política da América Latina, Introdução à América Latina, Estudos e Pesquisas para Paz, Análise Política e Teoria das Relações Internacionais.

Um comentário:

Raquel disse...

Não tive como não lembrar de um certo monitor nosso... O uso de alunos de graduação e de mestrado em sala de aula deveria ser melhor pensado.Mas parece que muita gente acredita que didática para a universidade está em desuso.